sexta-feira, 18 de dezembro de 2009

Jorge Cravo

Depois do lançamento do livro "José Afonso - Da Boémia Coimbrã à Fraternidade Utópica", Jorge Cravo surpreende-nos agora com mais uma publicação, desta feita sobre o mais representativo cultor do Canto de Coimbra, com o título "Luiz Goes - O Neo-Modernismo na Canção de Coimbra ou o Advento da Escola Goesiana"
.
Luiz Goes é, a partir da segunda metade do século XX, uma figura incontornável e acima de quaisquer suspeitas quanto à importância que tem na evolução da Canção de Coimbra.
Ideologicamente a partir da escola modernista de Edmundo de Bettencourt, Goes encetou uma renovação na Canção de Coimbra que o guindou à posição de legítimo e único sucessor daquele poeta-cantor presencista na afirmação de uma Nova Canção de Coimbra. Ou seja, o Neo-Modernismo chega à Canção de Coimbra através da escola Goesiana.
Demonstrando uma grande generosidade e disponibilidade, Goes tem revelado, nos últimos anos, um envolvimento, um amor e uma ternura por esta Canção que o permitem indexar como um Mestre, na acepção plena da palavra. Com ele se aprende todo um imaginário a preservar e a actualizar para que se não perca a Canção de Coimbra.
Uma Canção que muito deve à sua profunda veia artística como autor, compositor, poeta e, fundamentalmente, cultor inimitável.

Jorge Cravo
Coimbra (n. 1961). Licenciatura em História e especialização em Ciências Documentais pela Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra. Bibliotecário na Biblioteca Municipal de Coimbra. Cultor de Canção de Coimbra.

Discografia
Canções d’aqui (1988)
folha a folha (1999)
Canções d’inquietude (2005)

Bibliografia
1. Monografias
- A Canção de Coimbra em tempo de lutas estudantis (1961-1969): a vertente tradicional em tempo de mudanças e o Movimento das Trovas e Baladas como Canto de Intervenção académico (por ocasião dos 40 anos da Crise Académica de 1969). Coimbra: MinervaCoimbra, 2009.
- José Afonso: da boémia coimbrã à solidariedade utópica (1940-1969). Coimbra: Câmara Municipal de Coimbra, Departamento de Cultura, 2009.

2. Alguns artigos dispersos por livros, jornais e revistas locais:
- «A Geração de 80 da Canção de Coimbra», in Canção de Coimbra: testemunhos vivos (antologia de textos). Coimbra: Associação Académica de Coimbra, Direcção Geral, Pelouro da Cultura, 2002.
- «A presença e a Canção de Coimbra (ou o modernismo de uma nova visão estético-musical desta Canção)» in Munda, nº 45/46 (Nov. 2003).
- «A propósito da Candidatura da Canção de Coimbra a património da UNESCO» in Diário de Coimbra (13 Mar., 3-10 Abril, 2005).
- «O Fado de Coimbra não existe», in Rua Larga, nº8 (Abril, 2005).
- «José Afonso: da boémia coimbrã à solidariedade utópica (1940-1969)» in Arquivo Coimbrão, vol. XL, 2008.

http://minervacoimbra.blogspot.com

Edições MinervaCoimbra
Livraria Minerva Galeria
Rua de Macau, 52
3030-059 Coimbra

Contactos:
Telm.: 917640027
Tel: 239 701117 / 239 716204
Fax: 239 717267
Email: minervacoimbra@gmail.com

Etiquetas:

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial