segunda-feira, 1 de março de 2010

Jorge Cravo de novo a dissertar sobre o Canto e a Guitarra de Coimbra. Diário de Coimbra de hoje.

Etiquetas:

3 Comentários:

Anonymous Anónimo disse...

Ah, GRANDE JORGE CRAVO !!!!! Quem fala e escreve (e canta) assim não é gago ! ...

Um grande abraço,

Armando Luís de Carvalho Homem.

1 de março de 2010 às 20:19  
Anonymous Anónimo disse...

Ao correr da pena... e porque vi de novo aqui o meu querido amigo Armando C H.
Este artigo merece, eu diria , exige continuação, no sentido de dar um sentido positivo ao tema nele exposto e não apenas o sentido da negação de certas ideias erradas. Dizer-se Fado de Coimbra pode nao significar fado que descende de Lisboa. E em Lisboa? nao ha(houve) tambem canção, para alem das cento e tal melodias do fado tradicional? Afinal o que distinguiu Lisboa e Coimbra ? E o que distingue hoje?

Abraço para o Cravo o Armando e todos os leitores deste magnifico Blog
Alvaro Aroso.

2 de março de 2010 às 01:03  
Anonymous Anónimo disse...

Aproveito para enviar um grande abraço a Álvaro Arosos e restantes membros da «Tertúlia do Fado de Coimbra»,

ACH.

2 de março de 2010 às 09:59  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial